Profissionais e gestores da saúde de Mauá recebem orientações sobre HF | AHF Colesterol

Profissionais e gestores da saúde de Mauá recebem orientações sobre HF

Na semana do Dia Mundial da Saúde, em 9 de abril, a Associação Brasileira de Hipercolesterolemia Familiar (AHF) participou da "Semana da Saúde", organizada pela Secretaria de Saúde da cidade de Mauá, região metropolitana de São Paulo, e que reuniu profissionais e gestores da saúde (DASA, UBS, UPA e SAMU) em busca de novos conhecimentos. O evento foi realizado na sede da Uninove, onde funciona o curso de Medicina.

A presidente da associação, Patrícia Vieira, aproveitou a oportunidade para apresentar a AHF e falar sobre a hipercolesterolemia familiar (HF), doença hereditária que afeta entre 600.000 a 1.000.000 de pessoas em todo o Brasil, e que é subdiagnosticada e subtratada. Estima-se que menos de 1% destas pessoas tiveram o seu diagnóstico. A maioria continua sem o tratamento adequado pela falta de informação tanto do público leigo quanto dos profissionais de saúde que, muitas vezes, atribuem o colesterol alto a alimentação inadequada e falta de atividade física. “A HF é tratável e é possível prevenir eventos cardiovasculares fazendo uso de estatinas mais potentes e combinações de outras classes de medicamentos”, enfatizou. E o quanto antes a HF for diagnosticada e tratada, melhor. Patrícia Vieira citou a importância dos protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas e que estão empenhados na inclusão de medicamentos mais potentes e efetivos na redução do colesterol. Antes de concluir sua apresentação, a representante da AHF destacou a necessidade do Protocolo para pacientes com HF Homozigótica, forma mais grave e rara da HF, herdada de ambos os pais, que ceifa a vida de crianças, adolescentes e adultos jovens pela falta de tratamento adequado no país.

A AHF dividiu a manhã de palestras com a enfermeira Débora Cristina Teixeira, do PSF UBS Zaíra 1, em Mauá, que falou sobre o diagnóstico e tratamento da diabetes e hipertensão em crianças e adultos. Em seguida, a nutricionista especialista em HF, Valéria Arruda, doutoranda pela Unifesp, e parceira da associação, iniciou sua palestra citando a relevância do tratamento medicamentoso nas pessoas com HF e da mudança de hábitos, em busca de uma alimentação equilibrada e da prática de atividade física. “Para quem convive com a HF, estas são atitudes de extrema importância para evitar o desenvolvimento de outras doenças crônicas,  como diabetes e hipertensão”, destacou.

Esta foi a primeira ação da AHF neste ano, abrindo com chave de ouro o projeto “A AHF vai até você”. A Associação agradece pelo convite e pela parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Mauá, através da Secretária Adjunta, Carla Leonato, da coordenadora da Gestão do Trabalho e Educação em saúde, Cristiana Carvalho, e da gerente de Educação Permanente, Amanda Batista de Siqueira Santos.

________

Se você tiver colesterol LDL acima de 210 mg/dl e membros em sua família com infarto do miocárdio em idade inferior a 45 anos, entre em contato com o InCor pelo e-mail hipercolbrasil@incor.usp.br, enviando como anexo uma cópia ou foto do seu exame de colesterol junto com um número para contato telefônico. A Equipe do Hipercol Brasil entrará em contato com você!

Além do Hipercol Brasil, também a UNIFESP faz diagnóstico genético da HF: Endereço: Rua Loefgren, 1350. CEP - 04040-010. Fone: 11-55764961. E-mail para marcar coleta: waleria.toledo@gmail.com

Continue visitando o nosso site para aprender mais sobre a HF. Leve esta notícia ao seu médico. Espalhe que a HF é tratável, quanto mais cedo for diagnosticada, melhores são os resultados. A HF é familiar, passa de geração em geração, portanto todos precisam ser diagnosticados.

Ajude a aumentar a consciência sobre a HF entre as pessoas, médicos e autoridades da área da saúde! Se você tiver HF, envie-nos um curto vídeo com a sua história e como é viver com HF.