Gestão alimentar na hipercolesterolemia familiar | AHF Colesterol

Gestão alimentar na hipercolesterolemia familiar

Em artigos anteriores já escrevemos sobre a importância da dieta para as pessoas com hipercolesterolemia familiar (HF). Neste post, abordaremos esta questão de maneira mais ampla e complementaremos as informações já mencionadas anteriormente.

É importante lembrar que uma dieta adequada pode reduzir os níveis sanguíneos do LDL colesterol, mas para as pessoas com HF, isto pode não ser suficiente para atingir os níveis desejados.

A gordura total dos alimentos é uma mistura de gorduras saturadas e de insaturadas; as gorduras saturadas são aquelas que estão presentes nos produtos de origem animal, como laticínios (especialmente os gordurosos como certos tipos de queijos, creme e manteiga), gema de ovos e carne, além de serem encontradas em margarinas, e na maioria dos bolos, biscoitos e “fast food” (salgadinhos, batata frita, sanduiches diversos). As gorduras insaturadas são encontradas nas plantas (óleos de milho, canola, soja) e em peixes. Enquanto que as gorduras saturadas aumentam os níveis sanguíneos de LDL colesterol, as insaturadas diminuem esses níveis ou são neutras.

Os peixes gordurosos ou o óleo destes peixes são ricos em ácidos graxos ômega 3, que, segundo os nutricionistas, têm um efeito benéfico sobre o sistema cardiovascular. Estas substâncias também diminuem os níveis sanguíneos de triglicerídeos. Recomenda-se comer peixe na dieta pelo menos 2 vezes por semana e, no caso das pessoas com HF, ele não deve ser frito.

A ingestão de alguns tipos de fibras também pode ajudar a diminuir os níveis sanguíneos do LDL colesterol, por que estas fibras retêm o colesterol no intestino, e ele é então excretado nas fezes. Os alimentos ricos em fibras são uma importante fonte de vitaminas, minerais e antioxidantes.

Para os indivíduos com HF, a dieta deve ser balanceada e variada. Eles devem diminuir a ingestão total de gorduras e comer alimentos ricos em fibras, além de frutas e legumes. As crianças com HF devem ter a sua dieta apoiada por uma mudança de hábitos alimentares de toda a família, que deve ocorrer o quanto antes.

As mudanças alimentares são difíceis de fazer e isto leva tempo, portanto, a dieta das pessoas com HF deve ser acompanhada por um nutricionista e pelo médico.

Veja, a seguir, 4 dicas importantes:

  • Comer menos gordura, principalmente gordura saturada,
  • Substituir as gorduras saturadas pelas insaturadas,
  • Comer mais alimentos ricos em fibras, legumes e frutas todos os dias,
  • Limitar a ingestão de alimentos ricos em açúcar e álcool.

Veja, a seguir, algumas dicas práticas, que não foram mencionadas em artigos anteriores.

Em relação a carnes, peixes e aves: as carnes vermelhas magras poderão ser comidas até 3 vezes por semana, alternando este consumo com peixes e aves sem pele; coma peixe pelo menos 2 vezes por semana, especialmente peixes marinhos, como salmão, truta, filé de pescada e sardinha; prefira cortes de peito das aves (frango, peru, etc.) e os miúdos e vísceras não são recomendados.

Referente aos laticínios: prefira leite e derivados desnatados, ou com baixo teor de gordura, como leite desnatado, iogurte desnatado ou light, leite em pó sem gordura; restrinja o consumo de manteiga.

Quanto às gorduras e óleos: no preparo dos alimentos, escolha os óleos vegetais como o de soja, canola, milho, ou girassol, além do azeite de oliva, que são gorduras insaturadas. Evite óleo de coco, azeite de dendê e bacon, que são fontes de gordura saturada e de colesterol.

Em relação aos pães, massas e grãos: a maioria dos pães como o pão francês e o pão de forma tem baixo teor de gordura. Certos tipos de pães, como o croissant, pão de queijo e os pães recheados têm alto teor de gordura saturada, de colesterol e de gordura trans e devem ser excluídos da dieta. Deve-se preferir os pães integrais, de centeio, aveia ou trigo, e os que apresentam mistura de cereais. Da mesma forma, as bolachas de água e sal e as do tipo “cream cracker” são as recomendadas. Quanto às massas, deve-se preferir as sem recheio, frescas e secas. Não usar molho branco à base de creme de leite, dando preferência aos molhos vermelhos à base de tomate, ou ao alho e óleo.

Referente aos vegetais e frutas: as hortaliças, que compreendem verduras e legumes auxiliam o controle da obesidade, o diabetes e o nível de triglicerídeos. Elas possuem baixo valor calórico e são ricas em fibras, minerais e vitaminas. Os vegetais e as frutas frescas quase não têm gordura, exceto o abacate, que junto com as frutas oleaginosas e a azeitona são fontes de gordura monoinsaturada, que ajuda a controlar os níveis sanguíneos de colesterol.

Recomendações para o preparo dos alimentos

  • Os refogados devem ser preparados com pequena quantidade de óleo vegetal, e não se deve usar banha de porco ou manteiga.
  • Uma opção saudável é o cozimento a vapor.
  • Não fazer frituras em imersão, como carnes à milanesa, ou lulas à doré.
  • Prepare as carnes grelhadas ou em frigideira antiaderente sem óleo.
  • Prepare assados e ensopados.

Algumas dicas finais:

  • Não coma carne gordurosa (cupim, costela, etc.), pele de frango, não beba leite integral e não coma queijos amarelos, ou do tipo camembert, brie, stilton e outros.
  • Diminua o tamanho da porção diária de carne ou de frango.
  • Prefira as massas com molho vermelho.
  • Não coma lanches industrializados e frituras.
  • Coma pelo menos 3 frutas frescas por dia.
  • Consuma uma colher das de sopa de aveia ou de granola por dia.
  • Aumente o consumo de salada de folhas, com azeite de oliva extra-virgem.

Fonte: Hipercol Brasil

---

Se você tiver colesterol LDL acima de 210 mg/dl e membros em sua família com infarto em idade inferior a 45 anos, entre em contato com o InCor pelo e-mail hipercolbrasil@incor.usp.br enviando como anexo uma cópia ou foto do seu exame de colesterol junto com um número de contato telefônico. A Equipe do Hipercol Brasil entrará em contato com você!

Continue visitando o nosso site para aprender mais sobre a HF. Leve esta notícia ao seu médico. Espalhe que a HF é tratável, quanto mais cedo diagnosticado melhores são os resultados. A HF é familiar, passa de geração em geração, portanto todos precisam ser diagnosticados.

Seja um Associado